Psicodrama
Jacob Levy Moreno, o criador do Psicodrama, nasceu em 6 de maio de 1889, na cidade de Bucareste, na Romênia.

Era de origem judaica (sefardim). Sua família veio da península ibérica e radicou-se na Romênia na época da inquisição.

Aos cinco anos de idade mudou-se com a família para Viena e foi neste local que vivenciou a brincadeira de ser deus, que ele, com humor, relaciona a sua idéia de espontaneidade como centelha divina que existe em cada um de nós. Nessa brincadeira, em que ele e várias outras crianças jogavam ser deus e os anjos, Moreno estava sentado no “trono de deus” - uma cadeira em cima de caixotes empilhados sobre uma mesa - e um dos “anjos” solicitou-lhe que voasse. Ele tentou atender e, naturalmente, estatelou-se no chão e fraturou o braço direito.

Até 1920, Moreno teve uma intensa vida religiosa. Fez parte de um grupo que fundou a “Religião do Encontro”. Eles expressavam sua rebeldia diante dos costumes estabelecidos usando barbas, vivendo pelas ruas à maneira dos mais pobres e procurando novas formas de interação com o povo. Neste período, ele ia aos jardins de Viena e criava jogos de improviso com as crianças, favorecendo-lhes a espontaneidade, e participou, no ano de 1914, em Amspittelberg, juntamente com um médico venereologista e um jornalista, de um trabalho com prostitutas vienenses através do qual, utilizando técnicas grupais, conscientizou-as de sua condição, o que proporcionou que organizassem uma espécie de sindicato. Formou-se em medicina em 1917.

Interessou-se pelo Teatro onde, segundo ele, “existiam possibilidades ilimitadas para a investigação da espontaneidade no plano experimental”. Fundou, em 1921, o Teatro Vienense da Espontaneidade, experiência que constituiu a base de suas idéias da Psicoterapia de Grupo e do Psicodrama.

A proposta do Teatro da Espontaneidade era de criar uma representação espontânea, sem texto pronto e decorado, com os atores criando no momento e assim relacionando-se com a platéia. A partir daí ele criou o “jornal vivo”, em que dramatizava as notícias do jornal diário junto com o grupo participante, lançando naquele momento as raízes do Sociodrama. Ao trabalhar com os pacientes do hospital psiquiátrico usando o “Teatro da Espontaneidade”, criou o Teatro Terapêutico, que depois foi chamado “Psicodrama Terapêutico”.

De 1917 até 1920 colaborou com a Daimon Magazine , importante revista existencialista e expressionista, na qual colaboraram também Martin Buber, Max Scheller, Jakob Wasserman, Kafka, entre outros.

Em 1925 emigrou para os EUA. Dois anos depois fez a primeira apresentação do Psicodrama fora da Europa.
Em 1931 introduziu o termo Psicoterapia de Grupo e este ficou sendo considerado o ano verdadeiro do início da Psicoterapia de Grupo científica, embora as fundamentações e experiências tenham iniciado em Viena.

Moreno morreu em Beacon, em 14 de maio de 1974, aos 85 anos de idade e pediu que em sua sepultura fossem gravadas as seguintes palavras:

“Aqui jaz aquele que abriu as portas da Psiquiatria à alegria”.

Fonte:
Lições de Psicodrama
Introdução ao Pensamento de J.L.Moreno
Camila Salles Gonçalves
José Roberto Wolff
Wilson Castello de Almeida
1988 - Ed. Ágora
Márcia Maglia Dias - Psicóloga e Psicodramatista - CRP 07/03146
Rua Anchieta 2138 sala 404 - Edifício Diplomata - Pelotas/RS - 55 53 9981 0861
contato@marciamagliadias.com